Uma Contracultura Cristã

Jesus Cristo foi radical em Seus dias. Ele continua radical até hoje. Ele é radical todos os dias. Jesus é simplesmente diferente. Ele é único, e o “o único”, Deus encarnado, a divindade habitando em carne humana, totalmente Deus e totalmente homem. Não há ninguém como Ele.


Jesus viveu um estilo de vida radical, fez coisas radicais e proclamou uma mensagem radical. Entre os aspectos radicais do que Ele proclamou estava o estilo de vida que Ele chamou Seus seguidores para viver. Isso é tão claramente visto em Mateus 5-7 que o teólogo John R.W. Stott falou desses ensinamentos como Jesus pedindo “Uma Contra-Cultura Cristã”. Conhecemos melhor esses ensinamentos como “O Sermão da Montanha”, mas acho que o entendimento de Stott de que Jesus estava clamando por uma contracultura cristã está correta. Jesus desafiou repetidamente a perspectiva predominante da cultura de seus dias. Ele disse: “Vocês ouviram o que foi dito... mas eu lhes digo...”


Jesus não veio para mudar ou abolir a Lei, mas para cumprir a Lei. Da mesma forma, Ele é Aquele que nos ajuda a entender o significado e a intenção da Lei. Cristo nos capacita a ver o coração de Deus e a verdade de Deus sem as lentes da cultura predominante. Jesus nos chama de volta à perspectiva eterna do Criador da Vida sobre como nossas vidas devem ser vividas. Ele nos chama para longe do modo de vida diluído e até poluído pela cultura predominante de um mundo caído. Ele nos chama a ser uma “contra-cultura cristã”.


Pense por um momento como isso é muito diferente do que somos com tanta frequência. Há muitas maneiras pelas quais parece que a cultura está moldando a Igreja em vez da Igreja moldando a cultura. Somos chamados a ser sal, luz e cidade no alto de uma colina, como exemplos e agentes de mudança para o mundo que nos cerca, mas, muitas vezes, parece que esse processo se inverte. Somos propensos a reinterpretar as Escrituras para alinhá-las com as normas sociais de nossos dias. As igrejas estão cheias de cristãos professos que reinterpretaram as Escrituras para se adequarem às tendências da cultura. Até mesmo a compreensão do que é a Escritura foi alterada para acomodar as normas culturais.


Romanos 12:2 nos diz que não devemos nos conformar com o mundo ou deixar o mundo nos espremer em seu molde. A realidade é que isso acontece com muita frequência. É por isso que existe esta exortação para não deixar que isso aconteça. A pressão para se conformar à cultura que é exercida pela sociedade é forte. Sem um firme compromisso com a imutável Palavra de Deus como nosso padrão de vida e verdade, seremos como o que é falado no primeiro capítulo do livro de Tiago, “levados e sacudidos pelos ventos”. Seremos instáveis ​​em todos os nossos caminhos. Os ensinamentos de Jesus são projetados para nos capacitar a sermos testemunhas fiéis da verdade de Deus à medida que os aceitamos, os seguimos e nos apegamos a eles através da turbulência dos caprichos sociais em mudança. Sempre e onde quer que os ventos da cultura se afastem da Palavra de Deus, Jesus nos chama a ser uma Contra-Cultura Cristã. É assim que podemos cumprir nosso papel de sal e luz que o mundo tanto precisa.


Texto de Jimmy Aycock | ILI Diretor Internacional do International Leadership Institute

Traduzido pelo Pr. Roberto Gaviorno




2 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo